Growth marketing: veja como sua empresa pode aproveitar essa estratégia!

growth marketing

Growth marketing é uma estratégia desse setor focada em encontrar novas maneiras de acelerar o crescimento de sua empresa. E é por isso que, em português, também pode ser entendida como marketing de crescimento.

As mudanças do universo digital atingem constantemente a forma como se faz marketing. A partir desse contexto, surgem novos termos e conceitos para expandir a visão tradicional do processo.

E se a proposta desse formato é tornar o crescimento mais rápido, dificilmente você vai encontrar alguma empresa que se oponha a isso. Empresas que buscam longevidade precisam desenvolver estratégias de ampliação.

Em resumo, estamos falando de uma estratégia de inovação. Portanto, se você quer crescer exponencialmente com sua marca, está mais que na hora de entender a fundo como esse formato de marketing funciona.

A seguir, vamos apresentar o que é growth marketing, suas fases, vantagens, ferramentas usadas e claro, como você pode aplicá-lo. Boa leitura!

O que é growth marketing?

O growth marketing é um formato de marketing que visa oferecer um crescimento rápido e exponencial do negócio por meio de práticas inovadoras e testes sempre alinhados aos objetivos da empresa. Tudo isso com o mínimo de recursos possíveis.

Por isso, essa técnica foca no quão rápido você pode crescer e o quanto consegue expandir a partir disso. Por essa razão, a experimentação é um grande ponto dessa estratégia.

E é por isso também que esse marketing pode ser entendido como um projeto de conduzir experimentos para otimizar e melhorar os resultados do pré-venda. No entanto, não é simplesmente tentativa e erro.

A ideia aqui é focar nas expectativas reais dos clientes de um negócio, indo muito além do que já se sabe sobre eles. Ao ser “movido ao crescimento”, o growth marketing se preocupa com alguns processos:

  • analisar dados científicos e determinar contextos de testagem;
  • desenvolver ideias que possam otimizar processos;
  • priorizar as ideias diferenciadas que foram levantadas;
  • executar testes e adaptar experimentos a partir dos resultados

Como consequência, essa abordagem também está bastante associada à aquisição e retenção de pessoas. Afinal, esse marketing foca em garantir um crescimento consistente da empresa.

E sem clientes, não é possível. Portanto, growth marketing busca encontrar as maneiras mais inovadoras de conquistar novos compradores e tornar essas pessoas fiéis à marca.

Qual é a diferença entre o marketing tradicional e o growth marketing?

Mas, então, você pode estar se perguntando: como tudo isso se distingue do marketing tradicional?

A diferença entre o marketing como conhecemos e o growth marketing é o processo de crescimento a partir de campanhas e ações. Mais especificamente, estamos falando da curva de crescimento.

Enquanto o marketing tradicional é focado em gerar reconhecimento de marca e vendas, o growth prioriza promover uma constância de crescimento do negócio. Assim, atua em cima de hipóteses e testes científicos.

Além disso, a preocupação do growth vai além do topo do funil de vendas, mas se estende para o restante da jornada, principalmente o pós-venda.

Em suma, o marketing de crescimento transforma o caminho tradicional. Em vez de criar um produto e vender, essa estratégia cria, comercializa, analisa e, assim, reconstrói o marketing.

Fases do growth marketing

Fases do growth marketing

No growth marketing, não é possível crescer sem experimentações e dados. Portanto, ele pode ser dividido em algumas fases: product-market fit, growth hacks, escala e viralização, além de otimização e retenção.

A seguir, vamos abordar um pouco mais sobre cada uma dessas etapas. Acompanhe!

Product-market fit

O primeiro passo desse processo diz respeito ao product-market fit (PMF). E o que significa isso? O alinhamento entre o produto e o mercado que ele está inserido. Portanto, ele serve para avaliar o desempenho do item no contexto.

Esse é o momento de entender a demanda dos consumidores para oferecer algo que os interesse. E a melhor forma de fazer essa avaliação é pesquisando, por exemplo, necessidades que ainda não foram atendidas.

É fundamental definir quais são as dores da persona que serão resolvidas por esse produto e como essa mercadoria se difere de outras opções disponíveis no mercado.

Growth hacks

O segundo passo é o growth hacks. Essa parte está bastante associada a experimentações. Ou seja, em vez de apenas usar o “arroz com feijão” do marketing tradicional, você vai procurar maneiras de ir além.

O grande objetivo é identificar quais são as mudanças que podem gerar resultados mais rápidos e baratos. E isso, mais uma vez, vai depender dos testes que você está fazendo.

Mas para dar certo, você precisa pensar em opções que funcionam exclusivamente para sua empresa. Ou seja, nada de seguir uma estratégia muito usada no mercado: é hora de desenvolver algo que seja único.

Escala e viralização

Seguindo os próximos passos, chegamos na escala e viralização. Como há uma busca em ter um bom custo-benefício, esses dois atributos são fundamentais para garantir um crescimento consistente e escalável.

A ideia é se tornar capaz de atender a um número maior de demandas, mas com os mesmos custos operacionais. Se seu público passou de 50 para 500 conversão em landing pages, o objetivo é não aumentar os gastos com essa variação.

Como growth marketing envolve a capacidade de pensar fora da caixinha da aquisição, a viralização — com um baixo investimento financeiro — entra como peça-chave.

É ela que faz com que os próprios consumidores se tornarem propagadores orgânicos do seu produto. Um exemplo são as campanhas que geram prêmios para quem indica o produto a um conhecido.

Otimização e retenção

Em último lugar, chega a etapa de otimização e retenção — como falamos, tem muito a ver com marketing de crescimento. Portanto, essa fase está bastante conectada com a satisfação do consumidor e o pós-venda.

Garantir uma experiência completa de atendimento ao cliente desde a primeira interação até mesmo depois que a pessoa tem o produto em mãos torna-se essencial.

Em caso de problemas, é preciso buscar otimizar a experiência do cliente, sempre tendo em mente que a melhora deve ser contínua. Assim, mais uma vez entram os testes, os feedbacks e a análise de dados.

Quais ferramentas são usadas no growth marketing?

Ferramentas usadas em estratégias de growth marketing

Para começar uma estratégia de Growth no marketing, é preciso contar dados e pesquisas. Portanto, algumas ferramentas ou métodos podem ser essenciais na hora de encontrar soluções específicas para seu negócio.

Google Analytics, Pesquisa NPS, a segmentação e os testes A/B são alguns exemplos. A seguir, iremos trabalhar um pouco sobre essas soluções. Acompanhe!

Google Analytics

Como estamos falando de dados, não poderia faltar o Google Analytics. No marketing digital, ele é muito usado, pois permite que você entenda como as pessoas estão se relacionando com a sua presença digital.

E para a maioria dos negócios, a parte gratuita é o suficiente. Apenas grandes empresas precisam pagar uma versão premium. Portanto, os insights e as ideias inovadoras para crescer com consistência podem ter essa ferramenta como fonte.

Nessa ferramenta, existem diversas métricas disponíveis sobre o comportamento dos usuários, o perfil dos visitantes e as taxas de conversão para serem acompanhados.

Pesquisa NPS

Embora não seja uma ferramenta, a pesquisa NPS (Net Promoter Score) é um bom exemplo de metodologia de feedback necessária. Ela é responsável por medir o nível de fidelidade de quem consome o seu produto ou serviço.

Com base no feedback das pessoas, você pode entender como você é percebido por eles. Para ter os resultados é preciso fazer a seguinte pergunta: “Em uma escala de 0 a 10, quanto você recomendaria a Empresa X para um amigo?”

As pessoas que respondem de 0 a 6 são detratores. As de 7 a 8 são neutras. E as de 9 ou 10 são os advogados da sua marca, podendo fazer a divulgação orgânica e viralização que você busca.

Para saber o NPS da sua marca, você vai diminuir as pessoas insatisfeitas das pessoas satisfeitas. E com esse resultado, você consegue compreender o quanto de esforço precisa gastar para mudar isso.

Segmentação

Ferramentas de automação de email marketing, por exemplo, são importantíssimas para quem quer investir em growth. E o principal motivo disso é devido ao alto nível de segmentação de público ao enviar emails.

Com isso, você pode desenvolver campanhas e ações muito melhor direcionadas para a aquisição de público e, ao mesmo tempo, retenção das pessoas. Além disso, você pode explorar a partir da segmentação.

Há vários tipos de segmentação, que podem variar com demografia, frequência ou comportamento. Quanto mais você explorar essa personalização, mais você vai descobrir sobre como encantar as pessoas certas com o conteúdo certo.

Testes A/B

Por fim, um essencial mecanismo de fazer pesquisa e experimentações no growth é por meio dos testes A/B. Com ele, você pode analisar o desempenho de alguma ação por meio de uma comparação com uma diferente.

Um exemplo simples é testar duas versões de um email marketing para definir qual gera mais cliques e por qual motivo isso acontece. A partir daí, você passa a desenvolver um conhecimento maior sobre como sua base de clientes funciona.

E dados como esse podem se tornar parte de uma estratégia de melhoria contínua de longo prazo, na qual você consegue comparar as suas melhores estratégias antigas com novas ideias.

Growth marketing X growth hacking: principais diferenças

Diferenças entre growth marketing e growth hacking

Se você já ouviu falar de growth marketing, é muito provável que já tenha escutado também o termo growth hacking. Mas é preciso dizer: apesar de ter relação, eles não são sinônimos.

A diferença é que o growth hacking é apenas uma parte desse formato de marketing. Seus conceitos, portanto, são aplicados dentro de uma estratégia de marketing de crescimento.

Muitas vezes, ainda, esse hacking se concentra nos resultados imediatos, já o marketing foca em longo prazo.

Quem trabalha com esse o growth marketing, portanto, entende que pode levar tempo para que alguns de seus esforços tragam resultados mais consistentes, porém promissores.

Quais tipos de empresas podem usar o growth marketing como estratégia de negócio?

Toda e qualquer empresa pode fazer uso dessa estratégia de negócio, afinal, ela está bastante associada à aquisição de clientes. O growth marketing é ideal para quem quer investir em uma estratégia inovadora.

No entanto, ela pode ainda trazer mais ganhos para empresas pequenas e startups, ou seja, que estão começando. Esse formato de marketing oferece um crescimento ágil e exponencial, o que terá um impacto mais visível nesse momento.

Quais são as vantagens de usar o growth marketing no seu negócio?

Se você ainda tem dúvidas do porquê investir em growth marketing pode ser bom para você, vamos trabalhar algumas das vantagens que essa estratégia oferece.

Entre os ganhos, estão o maior conhecimento do público, o aumento do reconhecimento de marca e a melhora do ciclo de vendas. Entenda cada um deles!

Conhecer melhor o seu próprio público

Uma das vantagens de trabalhar com esse marketing é que seu conhecimento sobre seu público torna-se muito mais profundo. Com ações de growth, ao entender com detalhes suas necessidades, você também consegue se aproximar delas.

E isso também é um ponto fundamental para a retenção de clientes em campanhas futuras, pois você consegue mostrar que se importa com a participação dessas pessoas no seu negócio.

Esse é, portanto, o primeiro ganho para se adquirir outros. Somente com essa aproximação com o público, você vai conseguir saber por onde começar para ter um crescimento considerável.

Aumentar o reconhecimento da sua marca

Por mais que não seja a primeira técnica responsável por isso, a estratégia de visualização é fundamental para fazer com que sua marca passe a ser reconhecida no mercado. Principalmente como uma opção do seu nicho.

Com isso, por mais que as pessoas não comprem com você naquele momento, elas vão entender que, quando precisarem, podem ir até você para resolver certo problema. Você se torna um, portanto, uma referência.

E isso pode ser feito até de outras formas, como a mudança da cultura empresarial. Quanto mais você fortalece os valores da sua empresa diante do crescimento, mais estruturada sua empresa estará como um todo.

Melhoria do ciclo de vendas da empresa

Um outro ganho eventual do Growth Marketing está em melhorar o ciclo de vendas da empresa. Esse processo é natural, pois nessa estratégia existe uma maior qualificação de leads, entendendo suas necessidades e criando laços mais firmes.

Essa qualificação, por sua vez, tem um efeito considerável na etapa de vendas e do processo do funil como um todo. Ela torna mais fácil a passagem de cada estágio, o que vai aumentar as conversões da sua empresa.

E quando estamos falando de vendas mais complexas — que demandam uma atenção especial — essa estratégia acaba se tornando fundamental. Afinal, como já falamos, há uma maior compreensão de quem são essas pessoas desde o começo.

Exemplos de growth marketing

Exemplos de growth marketing

Antes de mostrar como você pode começar a implementar esse marketing, vamos trazer um exemplo de Growth Marketing, na prática, usado por uma empresa.

Embora existam muitos cases, vamos trazer brevemente dois: Rappi e Dropbox. Veja cada um deles a seguir.

Rappi

É muito improvável que você nunca tenha ouvido falar da Rappi. Ela é uma das maiores referências do seu nicho e é considerada uma das startups de crescimento mais acelerado nos últimos anos.

No Brasil, são mais de 64 cidades que contam com essa solução. Mas como ela chegou nisso? Por meio de estratégias agressivas e, principalmente, fora da caixa.

Na prática, a empresa investiu na criação de um modelo de assinatura para estimular a recorrência e o aumento do ticket médio.

Além disso, a empresa apostou na criação de um sistema de pagamento dentro do app Rappi Pay e, principalmente, fez parcerias com outras empresas e influenciadores digitais para gerar valor.

Dropbox

Um case mais antigo e bastante citado quando se fala de Growth Marketing é o da Dropbox. Estamos falando de um das principais referências para hospedar arquivos na nuvem.

Seu grande investimento para chegar onde chegou foi o tradicional marketing boca a boca, com grande potencial de viralização orgânica.

No início, para reduzir os gastos com marketing e torná-los mais eficientes, a empresa apostou em uma estratégia específica: premiar usuários ao indicar amigos e familiares para usar a ferramenta.

Cada usuário que indicava ganha 500mb de espaço na sua conta. Simples, não é mesmo? E somente com essa tática, a empresa passou de 100 mil para 4 milhões de usuários em 15 meses.

Como implementar uma estratégia de growth marketing no seu negócio?

Agora que você conheceu alguns casos de sucesso, está na hora de começar a trilhar o caminho do seu. Afinal, você pode estar se perguntando, como usar growth marketing?

Desde analisar a base de clientes até a avaliar os resultados constantemente, há muito o que se fazer. A seguir, vamos apresentar a você 5 dicas importantes na hora de aplicar essa estratégia de crescimento.

Analise sua base de clientes

Para alavancar seu negócio, você deve começar com a análise da sua base de clientes. Ou seja, aqui é momento de aplicar o que já falamos diversas vezes no texto: conhecer muito bem o público que a sua empresa vende.

Nesse processo, você vai identificar alguns grupos de pessoas que têm mais probabilidade de fazer negócios em relação a outros. E isso pode ser a chave para diversas ações, até mesmo em relação ao desenvolvimento de novos produtos.

E aqui é válido reforçar: você não vai estudá-lo de forma passiva. Interagir com ele, por meio de feedbacks, pode orientar como sua empresa escolhe entre atualizar um formato de campanhas e desenvolver algo completamente diferente disso.

Mapeie clientes em potencial

O growth marketing, como você sabe, tem muito a ver com retenção, mas também aquisição de clientes em uma curva mais rápida. É por isso que, um dos passos, envolve o mapeamento dos clientes em potencial.

Esse é o momento de identificar os consumidores que podem descobrir sua marca ou produto, portanto. O objetivo disso, portanto, é gerar leads por meio de estratégias de conteúdo, mas também por outros caminhos, como chatbots.

Lembre-se: esse marketing quer encontrar as maneiras mais inovadoras de conquistar novas pessoas. Só assim a transição para a fidelização de clientes será a mais natural possível.

Estabeleça a plataforma adequada

Como implementar uma estratégia de growth marketing no seu negócio?

Seguindo os passos, você vai precisar estabelecer quais serão as plataformas mais adequadas para as suas estratégias. No marketing digital, os canais são múltiplos. E investir na omnicanalidade, por exemplo, também é uma saída.

Optar por mais de uma plataforma não significa que você deve estar presente em todas. Busque por canais de comunicação que seu público prefere. Se muitos deles usam e-mail, portanto, você deve ter uma estratégia pensada para isso.

O fundamental é que, além de inovador, você procure manter consistência entre esses pontos de contato. A pessoa não deve sentir que há uma diferença entre falar com sua marca pelo WhatsApp ou pelo email.

Crie um bom conteúdo

Mas além de pensar na plataforma, pense no que vai estar dentro dela: o conteúdo. E esse é o momento que os testes também entram. Você vai precisar investir em diferentes tipos de conteúdo até chegar no ideal.

Seja um blog post longo, um ebook ou um conteúdo de vídeo, você vai precisar descobrir na prática o que melhor funciona. O que não pode ser diferente em nenhum formato, no entanto, é a qualidade do material.

Seja qual caminho você escolher, se preocupe em trazer aquilo mais diferenciado possível. É melhor produzir menos conteúdo, mas com um grau de profundidade maior, do que algo superficial que já foi visto antes.

Faça a análise dos resultados

Por fim, não podia faltar: avalie tudo! A análise de dados é o único caminho para saber o que está funcionando e o que não está. Ter insights com base em performance é o grande objetivo de qualquer ação de marketing no growth.

Não esqueça também de criar uma rotina, estabelecendo uma frequência para as apresentações de resultado e, claro, para o planejamento de novas ações com base nas descobertas mais recentes. O ideal é que seja, ao menos, uma vez por mês.

Conclusão

Como você já deve entender agora, o growth marketing diz respeito a adotar práticas que visam alavancar os resultados de uma empresa.

E com essa estratégia, é possível ter muitos ganhos, principalmente no reconhecimento de marca e na melhora dos ciclos de vendas, o que vai impactar, a longo prazo, a força do seu negócio.

E para garantir isso, na prática, é preciso analisar bem sua base de clientes, encontrar as melhores plataformas e fazer a análise de cada ação, testando sempre.

A ActiveCampaign permite com que você possa automatizar, segmentar e realizar testes constantes na sua estratégia de growth marketing. Comece hoje mesmo seu teste gratuito!

Comment section