7 Exemplos de Marketing de Conteúdo: Estratégias Para Pequenas Empresas

exemplos-marketing-conteudo

Como deve ser uma boa estratégia de marketing de conteúdo?

Se você tem um pequeno negócio, você já deve ter pensado em marketing de conteúdo em algum momento.

E como não pensar? Parece que todo mundo, em todos os lugares, está falando sobre o assunto.

Seth Godin disse até que “marketing de conteúdo é um único tipo de marketing que sobrou.”

E mesmo assim pode ser difícil fazer marketing de conteúdo quando se é pequeno.

Você pode procurar exemplos de marketing de conteúdo e se deparar com a campanha “Compartilhe uma Coca” da Coca-Cola. Ou ouvir falar sobre como a LEGO tem tanto sucesso fazendo marketing de conteúdo com conteúdo gerado pelo usuário.

Esses exemplos são legais—e claramente eficazes—mas você não tem milhões de clientes loucos para compartilhar as últimas ideias deles. Você não tem a consciência de marca gigante que a Coca-Cola tem.

Então como você pode usar marketing de conteúdo para o seu pequeno negócio?

A boa notícia é que dá para fazer.

E uma notícia melhor ainda é que esse post vai te mostrar exemplos de como fazer. A melhor notícia de todas é que cada um desses exemplos de marketing de conteúdo é de um negócio pequeno —não de um gigante da mídia.

Vamos começar vendo como estratégias de marketing de conteúdo são diferentes para empresas grandes e pequenas. Depois, vamos ver sete exemplos eficazes de marketing de conteúdo de pequenos negócios.

O quão diferente o marketing de conteúdo é para pequenos negócios?

Já tendo feito estratégia de conteúdo tanto para negócios de uma pessoa só e empresas gigantes que saem na Fortune 500, eu posso dizer—elas são diferentes.

Mas grande parte dos conselhos de marketing de conteúdo as trata do mesmo jeito. Inclusive, a maioria desses conselhos fica em um nível superficial, sem se aprofundar muito no que funciona (e por que funciona).

Um esclarecimento antes de começar essa seção: a estratégia de conteúdo varia entre pequenos negócios também. O marketing de conteúdo muda dependendo da área e do modelo de negócio.

Mesmo quando as bases são as mesmas, não dá para ter uma abordagem igual para todo mundo.

Dito isso, vamos ver os principais aspectos em que o marketing de conteúdo de pequenos negócios é diferente do marketing de conteúdo de empresas.

Maior ênfase em textos individuais

Um negócio com um milhão de visitantes mensais no site não vai dobrar seu tráfego com um único texto — mas um negócio pequeno pode fazê-lo. Um negócio pequeno normalmente consegue criar conteúdo de qualidade e distribuí-lo através de canais limitados, porque não vai gerar muito mais tráfego para aumentar a receita de forma significativa.

Menor ênfase em aumentos marginais

Quando você atrai um milhão de visitantes mensais para o seu site e converte 1%, aumentar sua taxa de conversão para 1,5% significa 5.000 vendas a mais. Um pequeno negócio precisa prestar atenção na taxa de conversão, mas costuma prestar mais atenção no número total de conversões—já que o processo de entrega de pedidos dá bastante trabalho.

Um pequeno negócio tem um orçamento limitado

Um pequeno negócio às vezes precisa usar conteúdo, porque ele não pode custear outros tipos de marketing. Conteúdo custa tempo, mas não costuma custar muito dinheiro, o que o torna uma ótima tática para pequenos negócios.

Pequenos negócios têm uma vantagem—personalidade

Grandes marcas precisam trabalhar para construir sua personalidade.

Mas um pequeno negócio em geral já tem uma personalidade inerente, pelo fato de ser comandado por apenas algumas pessoas!

A personalidade ajuda as pessoas a se conectarem com você enquanto negócio, e é bastante útil para pequenos negócios.

Existem outras diferenças? Claro. As diversas táticas e estratégias de conteúdo mudam com base no mercado e nos recursos disponíveis. Sempre vão ter coisas que grandes empresas são capazes de fazer por causa dos seus recursos.

Cada vez mais, eu espero ver grandes marcas comprando empresas menores para ter acesso ao seu público.

O profissional de marketing Neil Patel já detalhou a estratégia dele de comprar nomes de domínio para obter o tráfego deles. Ele não é o primeiro a usar essa estratégia, e nem vai ser o último.

Outra estratégia empregada por grandes marcas, mas que empresas menores dificilmente vão conseguir usar, é patrocinar conteúdo criado por quem já tem muitos seguidores fieis.

Para promover a nova temporada do The Voice, a NBC patrocinou mais de uma dezena de músicos do YouTube para fazerem covers da música Medicine, da Kelly Clarkson. Quando eu estava fazendo a pesquisa para esse post, eu tentei contar o número total de vídeos que eles postaram—eu desisti no 16.

Só desses 16 vídeos, eu contei mais de 1,5 milhão de visualizações—de pessoas interessadas em ver covers de músicas famosas (a grande premissa do The Voice).

Um pequeno negócio pode não conseguir pagar vídeos patrocinados ou comprar outros negócios, mas existem outras estratégias eficazes de marketing de conteúdo que podem ser usadas.

Veja 7 exemplos de marketing de conteúdo de pequenos negócios.

  1. Cressey Sports Performance
  2. Orbit Media Studios
  3. Imperfect Produce
  4. River Pools
  5. MobilityWOD
  6. Strolleria
  7. Platinum Skin Care

1. Cressey Sports Performance

Eric Cressey é um dos melhores treinadores de força e condicionamento do mundo. Nos seus centros de treinamento de elite em Massachusetts e na Flórida, ele ajuda atletas a ficarem mais fortes, a se moverem melhor e a jogarem melhor.

Ele também tem uma lista impressionante – e crescente – de histórias de sucesso.

Os clientes mais proeminentes de Cressey são arremessadores de baseball (sua especialidade), incluindo o Noah Syndergaard, do Mets, o arremessador do Nationals, Tim Collins, e o duas vezes vencedor do Prêmio Cy Young Corey Kluber.

Então ele é muito bom.

Portanto, o status dele de expert na área de força e condicionamento de baseball vem de sua real especialização.

E ele de fato consegue pegar muito, muito peso.

Eric Cressey Deadlift

Eu e ele temos mais ou menos a mesma altura e peso. Ele pega mais ou menos 300kg no levantamento terra, e eu… Bom, não faz muita diferença, né?

Enfim, grande parte do status dele de expert na área de força e condicionamento —e sua reputação em geral como treinador—são resultado de suas ótimas postagens em seu blog.

O blog de Cressey tem conselhos e informações especializadas que são difíceis de se encontrar sem vasculhar periódicos acadêmicos. E explicadas de uma maneira que qualquer um consegue entender.

De recomendações de leitura a recomendações de exercícios—para não mencionar explicações de partes do corpo e vídeos com atletas profissionais—as habilidades de marketing de conteúdo de Cressey certamente melhoraram sua reputação como referência na área.

Como fazer marketing de conteúdo como Eric Cressey?

Eric Cressey é incrível no marketing de conteúdo, e o negócio dele é um ótimo exemplo de marketing de conteúdo bem feito. O que você pode aprender com a estratégia de marketing dele?

São duas sacadas principais:

  • Construa relacionamentos
  • Seja um especialista no assunto em questão

Cressey é um verdadeiro um especialista no assunto em questão. Quando o assunto é força e condicionamento—principalmente para jogadores de baseball—vai ser muito difícil você encontrar alguém com mais experiência e conhecimento prático.

Então, qual a abordagem dele quanto ao marketing de conteúdo? Compartilhar esse conhecimento e se aprofundar na parte técnica.

Na área de atividade física, como na maioria das áreas, a maior parte do conteúdo é direcionado para as massas. A maior parte do conteúdo não passa do nível superficial.

Como afirma o brilhante profissional de marketing de conteúdo Jimmy Daly, “conteúdo prático não é uma estratégia.” Existem tantas “dicas” por aí que especialização de fato é rara.

Cressey demonstra uma verdadeira especialização. Seus posts são uma mistura de visão ampla e exercícios específicos—mas mesmo quando ele compartilha táticas, ele conecta essas táticas à visão geral.

O público de não são os frequentadores médios de academia. É um público de:

  • Outros treinadores de força e condicionamento
  • Atletas de elite
  • Pais de jovens atletas promissores

São pessoas que querem saber que estão nas mãos de um verdadeiro especialista.

Aliás—pelo fato de tão poucas pessoas compartilharem conteúdo a nível de especialista, Cressey consegue ranquear para milhares de palavras-chave específicas.

Eric Cressey ranking keywords

O outro segredo do sucesso de Cressey? Relacionamentos.

O site de Cressey tem guest posts regulares, e seus relacionamentos na área gera circulação para o conteúdo que ele próprio escreve.

Parcerias com outros treinadores como Mike Robertson, Tony Gentilcore e Dean Somerset deu ao marketing de conteúdo de Cressey maior autoridade e alcance.

2. Orbit Media Studios

Orbit Media Studios home page
A Orbit Media Studios é uma agência digital de design baseada aqui em Chicago. Mas, através de seu conteúdo, ela amplia bem mais seu alcance.

A Orbit Media atende em primeiro lugar a organizações baseadas em Chicago. Grande parte de seus negócios vêm de buscas no Google—então você já consegue imaginar o quão importante é para eles ranquear para palavras-chave “Chicago Web Design.”

Como pode uma empresa pequena com 1.5 (não seria 15?) profissionais de marketing ranquear para termos tão competitivos? Marketing de conteúdo.

Ao criar conteúdo cativante e construir relacionamentos com influenciadores de marketing de conteúdo, a Orbit Media consegue atrair um monte de links de volta para o site deles.

Isso, por sua vez, aumenta a relevância geral do site deles — e permite que eles ranqueiem para os termos competitivos que ativamente atraem negócios.

Como fazer marketing de conteúdo como a Orbit Media Studios?

Hoje é seu dia de sorte! A Orbit Media Studios escreve conteúdo sobre… Como fazer marketing de conteúdo!

Se você quer fazer marketing de conteúdo como a Orbit Media, você só precisa ir até o blog da Orbit Media. A não ser que você queira dar uma olhada no livro Content Chemistry, do co-fundador da Orbit, Andy Crestodina.

Content Chemistry book cover

Fonte: Amazon

Ambas as fontes de conselhos de marketing têm um monte de exemplos, processos de distribuição de conteúdo passo-a-passo e conselhos de SEO.

Mas, resumindo rapidamente a abordagem da Orbit Media:

  • Busca é o que escala melhor, então foque na otimização para mecanismos de busca
  • Crie a melhor página da internet para o seu assunto
  • Crie relacionamentos para ajudar a promover o seu conteúdo
  • Ranqueie para a frase premiada

A Orbit Media é uma agência de design digital, não uma agência de marketing de conteúdo. São apenas 1.5 profissionais de marketing na Orbit, então a agência precisa ser muito eficiente no marketing.

Entre: otimização para mecanismos de busca.

Tráfego do Google tem algumas vantagens sobre outras fontes de tráfego:

  • É altamente relevante para segmentar uma palavra-chave
  • Existe bastante por aí
  • Dura muito tempo – e cresce

Mas é difícil ranquear no Google quando se é um site pequeno. Então o que a Orbit Media faz?

A Orbit começa criando a melhor página da internet para frases-chave relacionadas a marketing de conteúdo, web design e SEO. Ao criar conteúdo longo para responder todas as perguntas sobre um assunto  específico, a Orbit aumenta as chances de um post ranquear — e atrair links.

Para conseguir mais links, a Orbit trabalha com influenciadores.

Os posts do blog da Orbit Media blog posts tendem a incluir frases de influenciadores. Pelo fato de terem contribuído com as frases e serem eles próprios criadores de conteúdo, os influenciadores ficam mais inclinados a enviar backlinks ao site da Orbit Media.

E quanto aos leads? Como SEO ajuda a fechar mais negócios?

O aumento do número de links aumenta a autoridade de domínio da Orbit Media, ou seja, sua capacidade de ranquear no Google.

Isso significa que ela consegue ranquear para “frases premiadas” como “Chicago web design.” São essas as frases que clientes em potencial buscam—e a Orbit está logo no topo dos resultados.

3. Imperfect Produce

A Imperfect Produce é uma empresa que combate o desperdício de comida vendendo itens “feios” demais para serem vendidos nos supermercados.

Ao selecionar itens “feios” diretamente de fazendas, a Imperfect Produce consegue fornecê-los aos clientes por menos 30-50% em relação aos preços dos mercados.

É um ótimo negócio (os kiwis que eu comprei na semana passada estavam deliciosos) — mas como uma empresa tão pequena consegue gerar consciência e atrair clientes?

A resposta é que a Imperfect Produce arrasa no marketing de conteúdo e nas mídias sociais. Esse conteúdo, somado ao fato de que o conceito do serviço é excelente, gera tráfego, boca a boca e indicações.

No blog deles, a Imperfect Produce oferece conteúdo útil que ensina as pessoas a cozinhar com a maior parte dos vegetais que eles fornecem. Entre os posts, têm assuntos tipo “Como se apaixonar por Bok Choy” e “4 Tipos de Abóbora da Estação e o que Fazer com Elas.”

Eles também têm posts como “Compostagem para iniciantes,” supondo de forma acertada que pessoas interessadas em reduzir o desperdício de comida também se interessam por coisas como compostagem.

Mas a cereja do bolo é a presença fantástica da Imperfect Produce no Instagram.

Imperfect Produce Instagram

Eles têm um monte de posts engraçados e cheios de personalidade. Todas essas coisas juntas ajudaram a Imperfect Produce a decolar.

Como fazer marketing de conteúdo como a Imperfect Produce?

A Imperfect Produce é um exemplo divertido de marketing de conteúdo porque… Ela produz conteúdo divertido!

Está cheio de conteúdo chato por aí. A Imperfect Produce certamente poderia ter ido pelo caminho tradicional, falando das vantagens de evitar o desperdício de comida e mostrando sua proposta de valor de entregar produtos baratos na sua porta.

E eles falam sobre essas coisas em algum momento. Mas, antes de mais nada, o conteúdo deles é divertido.

Imperfect peach with googly eyes

A Imperfect Produce sabe que o produto deles tem uma carinha meio esquisita. Então eles entram na brincadeira, eles não perdem a piada fazendo posts engraçados no Instagram que as pessoas compartilham e riem.

O fato de a Imperfect Produce ter um produto bem óbvio ajuda bastante.

Se você está numa área coberta por eles, por que você não se cadastraria para receber o serviço? Os produtos são mais baratos, são entregues na sua casa, e você ajuda a evitar o desperdício. O desafio é resolver a consciência, não o interesse ou a conversão.

Depois que alguém se torna um cliente, tem conteúdo para esse tipo de pessoa, também.

Você sabe cozinhar bok choy, ou a diferença entre 4 tipos de abóbora? Mesmo que você esteja comprometido a reduzir o desperdício de comida (ou simplesmente não goste de ir ao mercado), você pode acabar desistindo do serviço se não souber cozinhar o que você recebe.

Então é esse o tipo de conteúdo que a Imperfect Produce produz (entendeu o trocadilho?). Receitas.

O tom continua sendo divertido, mas o conteúdo prático garante que os clientes saibam usar seus novos legumes e frutas esquisitos.

4. River Pools

River Pools content opt-in
A River Pools é um dos clássicos exemplos de marketing de conteúdo.

Afetada fortemente pela crise de 2008, a River Pools estava mal. As pessoas simplesmente não queriam instalar piscinas de fibra de vidro.

Todo o mercado de piscina estava passando por problemas. Então Marcus Sheridan, o dono, decidiu tentar começar um blog.

Ele começou de um jeito simples. A River Pools tinha muita experiência na instalação de piscinas de fibra de vidro, então ele concentrou o conteúdo nessa especialidade. Que perguntas os potenciais clientes queriam que fossem respondidas antes de comprar uma piscina?

Embora tenha começado pequeno, o site da River Pools logo se expandiu. Hoje, ele afirma que “nós literalmente respondemos a todas as perguntas que um cliente pode ter sobre a compra de uma piscina de fibra de vidro.”

Com o fluxo de tráfego e a lista de leitores satisfeitos, a River Pools mais que sobreviveu à crise — ela venceu.

Como fazer marketing de conteúdo como a River Pools?

Marcus Sheridan basicamente entrega o segredo do marketing de conteúdo quando diz “nós literalmente respondemos a todas as perguntas que um cliente pode ter sobre a compra de uma piscina de fibra de vidro.”

Essa é uma estratégia de marketing de conteúdo por si só!

Principalmente em mercados de nicho, responder a todas as perguntas pode ser uma ótima abordagem ao marketing de conteúdo. Mas, agora, você deve ter sua própria pergunta…

…como saber o que o seu público está perguntando?

Veja três maneiras de descobrir perguntas que precisam de respostas.

  1. Ferramentas de pesquisa de palavras-chave
  2. Pesquisa de mercado online (mineração de avaliações e outras táticas)
  3. Entrevistas com clientes

Ferramentas de pesquisa de palavras-chave são uma maneira útil de descobrir perguntas, porque elas te dizem o que as pessoas estão buscando. E, se as pessoas estão buscando alguma coisa, você tem uma chance de atrair tráfego.

Uma ferramenta gratuita como o Ubersuggest é uma ótima maneira de descobrir palavras-chave que geram um monte de buscas. Ferramentas pagas como Moz e Ahrefs têm funcionalidade similares, com a vantagem adicional de te dizer o quão difícil é ranquear no Google para aquelas palavras-chave.

Quando você está procurando perguntas para responder, Answer the Public é outra ferramenta de pesquisa de palavras-chave gratuita e ótima.

Insira uma expressão como “piscinas de fibra de vidro” e você vai ver todas as perguntas que as pessoas estão fazendo na internet.

Answer the Public example

Ferramentas de pesquisa de palavras-chave são úteis porque elas te dizem o que as pessoas estão buscando.

Mas, para alguns assuntos, o que as pessoas buscam não é exatamente o que elas precisam para resolver seus problemas. Ou o problema em si é difícil de definir e não existe um único termo pelo qual as pessoas estejam buscando.

É por isso que não existe substituto para pesquisa de mercado e entrevista com clientes.

Não sabe sobre o que escrever? Pergunte aos seus clientes.

Pesquisa com clientes é a melhor maneira de descobrir as perguntas do seu público, bem como assuntos para conteúdo. Quando você receber perguntas dos seus clientes, transforme-as em conteúdo.

Nós criamos um guia sobre pesquisa de mercado online, e também algumas perguntas de pesquisa com clientes que valem a pena ser perguntadas. Se você tem uma equipe de vendas ou atendimento, perguntar para eles quais são perguntas comuns também pode dar boas ideias de marketing de conteúdo.

5. MobilityWOD

Kelly Starrett MobilityWOD
Se você me dissesse que um dia eu compraria um livro chamado “Becoming a Supple Leopard,” eu teria dito que você é louco.

Mas por causa do investimento do fisioterapeuta Kelly Starrett’s em marketing de conteúdo, eu acabei comprando o livro (e gostando dele). Eu até comprei o terceiro livro dele, Deskbound, e leio regularmente o conteúdo no site dele, MobilityWOD.com.

Kelly Starrett começou abrindo uma academia de CrossFit em 2005. Depois de se tornar doutor em fisioterapia, Starrett começou a dar seminários sobre mobilidade — e, em 2010, ele começou a postar diariamente vídeos de mobilidade para passar seus conselhos ainda mais adiante.

O resultado? Starrett ainda tem a San Francisco CrossFit, mas ele e a esposa Juliet também gerenciam uma super marca online e site para membros. Apesar do nome incomum, Becoming a Supple Leopard se tornou um best seller.

Ao postar vídeo informativos e de expert sobre como curar dores comuns— no seu estilo de fala rápido, bem pessoal e intrigante (o que deixa tudo mais interessante) — Starrett conseguiu construir e alavancar uma reputação para o seu negócio.

O que eu mais gosto nesse exemplo é que ele mostra como o conteúdo é uma estratégia de longo prazo. Starrett começou postando vídeos diários em 2010 — e embora ele tinha visto logo um salto nos seus números,  negócio dele só decolou mesmo em 2013.

MobilityWOD Google Trends

Conteúdo de valor publicado de forma consistente em um longo período de tempo é uma estratégia vencedora para pequenos negócios.

Como fazer marketing de conteúdo como a MobilityWOD?

Tem várias lições a serem tiradas desses exemplo de marketing de conteúdo.

Kelly Starrett é um especialista no assunto em questão e o conteúdo dele reflete isso. Se você testar as dicas de mobilidade deles, você provavelmente vai se sentir melhor na hora, o que te deixa muito mais inclinado a tentar mais vezes.

Starrett também tem muita personalidade, e ele escolheu um meio (conteúdo em vídeo) que enfatiza bem essa personalidade.

Então já temos várias lições de marketing de conteúdo:

  • Seja um especialista no assunto em questão
  • Ofereça conteúdo que entregue resultados imediatos
  • Mostre uma personalidade interessante

Mas o que mais se destaca no MobilityWOD é a consistência da produção de conteúdo. O MobilityWOD começou postando conteúdo todos os dias por um ano.

Mesmo que a qualidade da produção fosse baixa.

Mesmo que o público tenha começado pequeno.

Mesmo que às vezes Starrett fosse literalmente interrompido por seus filhos pequenos andando na frente das câmeras.

O conteúdo do Kelly Starrett era bom, e preenchia uma necessidade que faltava na internet. Trazia um conhecimento de um doutor em fisioterapia para as massas, de uma forma interessante e divertida.

Uma criança andando na frente das câmeras? Bom, todo mundo que assistia aos vídeos sabia que Starrett era humano, com uma personalidade de verdade. Veja os comentários no YouTube, e você vai ver que as pessoas até gostavam das interrupções.

Se você está preocupado com o valor da sua produção ser muito baixo no início, não fique.

Foque em produzir bom conteúdo. Foque em preencher uma lacuna. Foque em fazer sentido para um público e publicar consistentemente.

Conforme o MobilityWOD cresceu, a qualidade das produções melhorou.

Mas ele cresceu porque Starrett não teve medo de publicar bom conteúdo em uma embalagem bruta.

6. Strolleria

Strolleria quiz Instagram post
A Strolleria é o exemplo de marketing de conteúdo que prova que você pode usar conteúdo para promover qualquer coisa. Loja física que vende carrinhos de bebês? Sem problemas.

Com uma loja física em Scottsdale, Arizona, e uma loja online que ajuda a aumentar seu alcance, a Strolleria é a epítome do marketing de conteúdo de um pequeno negócio.

Ela também prova que—diferente dos exemplos de orçamento gigante de marketing de conteúdo que você talvez tenha visto — o conteúdo não precisa ser sofisticado para ser eficaz.

Se você é um pai de primeira viagem tentando escolher um carrinho, você não gostaria de ter um guia de compra de carrinho?

Melhor ainda, não seria ótimo se houvesse um quiz para você ver o carrinho que combina melhor com as suas necessidades?

E se você tivesse ouvido falar bem tanto do Bugaboo Fox e do Bugaboo Cameleon e precisasse compará-los?

O blog da Strolleria resolve todos esses problemas. Para pessoas que precisam escolher um carrinho ou cadeirinha de carro, a Strolleria oferece informações incríveis—e para onde você acha que esses leitores vão quando for a hora de fazer a compra?

Como fazer marketing de conteúdo como a Strolleria?

Como usar marketing de conteúdo para e-commerce? Basta olhar para a Strolleria como exemplo.

Negócios de e-commerce têm muitos desafios. O crescimento da Amazon e do Google significa que os clientes estão comparando mais preços e pesquisando perguntas antes de comprar. Como uma pequena empresa de e-commerce atrai novos clientes?

Seja a resposta às perguntas.

A Strolleria sabe que as pessoas não buscam simplesmente pelos nomes específicos dos carrinhos. Na verdade, algumas pessoas sabem exatamente o que elas querem, e ainda vale a pena fazer SEO da página de produtos para capturar essas buscas.

Mas a maioria das pessoas que compra um carrinho não sabe a diferença entre um UPPAbaby VISTA e um Nuna MIXX2.

O que essas pessoas querem? Ajuda.

Stroller content comparison

É por isso que a Strolleria criou um longo guia para os clientes sobre como comprar um carrinho.

É também por isso que eles usam o blog para postar comparações de carrinhos. Depois que você ouve falar de dois carrinhos, como decidir entre eles? Um post comparando os prós e contras do UPPAbaby VISTA e do Nuna MIXX2 faz o serviço.

A melhor lição de marketing de conteúdo do Strolleria é que seus compradores nem sempre estão buscando palavras-chave transacionais. Dar um passo atrás no funil abre todo um novo leque de palavras-chave para se ranquear, e te dá acesso a compradores conforme eles começam a busca deles.

7. Platinum Skin Care

A Platinum Skin Care é usuária do ActiveCampaign, então já falamos deles antes. Inclusive fizemos todo um estudo de caso sobre como eles conseguiram uma taxa de abertura de emails de 50% e taxa de conversão paga de 17% com suas iscas digitais.

Então por que eu estou falando deles aqui? Porque eles têm uma abordagem bem interessante em relação a conteúdo, que é um pouco diferente das outras nessa lista.

Eles têm um blog? Sim, e ele é atualizado periodicamente. Eles também têm um canal do YouTube com conteúdo regular, e alguns dos vídeos deles alcançaram 100.000 visualizações.

Mas a grande estrela da Platinum Skin Care é seu conteúdo em email.

Quando você entra no site da Platinum Skin Care, você pode fazer um quiz que te ajuda a encontrar os produtos certos para o seu tipo de pele e necessidades específicas.

PSC Quiz

Com base nos seus resultados, você obtém recomendações de produtos personalizadas—essa já é uma segmentação fantástica, que já funcionaria perfeitamente sozinha.

Mas a Platinum Skin Care dá mais um passo adiante, enviando uma série de emails com base no resultado do seu quiz.

PSC email marketing

Perceba que apenas um desses emails tenta fazer uma venda. Os outros apenas oferecem dicas úteis sobre como lidar com a acne—um grande ponto de dor que os produtos da Platinum Skin Care ajudam a resolver.

O conteúdo desses emails é simples. Cada email tem apenas de 300 a 1000 palavras sobre um tema específico relacionado a cuidados com a pele.

Mas, para alguém que busca respostas, essa sequência de nutrição é um conteúdo com bastante valor—e, para a Platinum Skin Care, gera conversões e cria clientes.

Como fazer marketing de conteúdo como a Platinum Skin Care?

Você pode usar conteúdo para preencher o topo do seu funil de marketing. Mas muita gente no topo do seu funil não é o seu objetivo—você quer clientes.

Depois de atrair pessoas para o seu site, você precisa trabalhar para convertê-las em clientes. E é isso que torna a Platinum Skin Care um exemplo tão bom de marketing de conteúdo.

As pessoas raramente só “se inscrevem para newsletters,” então eles oferecem iscas digitais.

Uma isca digital não ajuda a segmentar, então eles usaram um quiz.

Um quiz te dá informação sobre o que as pessoas querem, então eles fizeram um follow-up com uma automação para oferecer exatamente aquilo.

An introduction video to the topic of marketing automation

Peraí. Uma automação? Automações ajudaram negócios como a Platinum Skin Care a crescer (…automaticamente). Se você não sabe bem como usar automações para o seu negócio, esse vídeo do curso Coneçando a Usar o ActiveCampaign é um bom começo. 

Se você quer fazer marketing de conteúdo como a Platinum Skin Care (e conseguir uma taxa de conversão paga de 17%), procure formas de segmentar seu público.

Se você conseguir que seu público te diga exatamente o que quer, você só precisa dar isso a ele.

Veja três formas comuns de segmentar:

  • Use um email de “segmentação” como email de boas vindas. Peça para as pessoas escolherem entre três links relacionados a interesses específicos e depois classifique-as com base no link em que elas clicaram.
  • Monitore as pessoas com base em onde elas se cadastraram. De que página veio aquele contato? A página fala algo sobre os interesses dele, e uma tag te permite monitorá-lo facilmente.
  • Use um formulário ou quiz. A Platinum Skin Care usou um quiz para classificar contatos, mas você pode simplesmente perguntar. Colocar um campo personalizado nos seus formulários é a maneira mais fácil de se obter informação.

Quando você tem um segmento, você pode automaticamente dar um follow-up pra fazer uma oferta.

Veja a automação que a Platinum Skin Care usa para nutrir seus novos leads.

Platinum Skin Care welcome automation

Usuários do ActiveCampaign podem importar essa automação diretamente para suas contas.

Para fazer marketing como a Platinum Skin Care, pense em como você pode conseguir mais informações sobre o seu público. Depois, use essas informações para fazer ofertas às quais seu público não vai conseguir resistir.

Conclusão: O que você percebe nesses exemplos de marketing de conteúdo?

Quando você pensa em começar um programa de marketing de conteúdo para o seu negócio, é fácil se intimidar.

É fácil ver os artigos com milhares e milhares de palavras, gráficos elaborados, campanhas sofisticadas e decidir “isso está fora do meu alcance”.”

Mas o que você percebe nesses exemplos?

Eles são todos simples. Não tem nada nesses conteúdos que você não possa fazer.

  • Kelly Starrett começou postando um vídeo por dia. Os primeiros vídeos eram só ele falando para a câmera e demonstrando alguns exercícios. Os vídeos atuais ainda são assim, mas com uma qualidade de produção um pouquinho mais alta.
  • Eric Cressey usa um vídeo sobre a técnica de levantamento terra como uma isca digital. Ele usa o mesmo vídeo desde 2011.
  • A River Pools criou um blog cheio de conteúdo, mas eles fizeram isso simplesmente respondendo às perguntas que as pessoas já os vinham fazendo.

Esses pequenos negócios não precisaram fazer um grande investimento em conteúdo — o marketing de conteúdo talvez tenha até poupado tempo no longo prazo, já que pessoas com perguntas poderiam só ser linkadas para posts já existentes.

A Platinum Skin Care faz a mesma coisa. Eles adicionaram mais uma camada ao seu conteúdo com emails segmentados, mas basicamente eles ainda estão ficados em responder perguntas.

Cada um desses negócios é um exemplo fantástico de marketing de conteúdo, mas nenhum deles fez nada que você não possa fazer no seu negócio.

Responda às perguntas do seu público. Faça isso de forma consistente ao longo do tempo. Consiga seguidores para o conteúdo da sua empresa, e você vai ver sua base de clientes crescer.

 

 

Um teste gratuito vale mais que mil palavras.

Comece hoje mesmo. Não precisa de cartão de crédito.